Vídeo- Direito da Liberdade: Dilemas da Teoria do Reconhecimento de Axel Honneth

Vdeo do painel Direito da Liberdade: dilemas da teoria do reconhecimento de Axel Honneth, com:

Emil Sobottka (Ciências Sociais PUC RS )
Cinara Rosenfield (Ciências Sociais UFRGS)
Felipe Gonçalves Silva (Filosofia UFRGS)
José Vicente Tavares dos Santos (ILEA UFRGS)

O evento aconteceu no dia 15/12, às 14h, no auditório do ILEA na UFRGS.

 

Vídeos das palestras do Simposio Reconocimiento Justicia y Comunicación – Axel Honneth

O Simpósio Internacional Reconocimiento, Justicia y Comunicación aconteceu em outubro de 2015 na Pontificia Universidad Javeriana de Cali na Colômbia.
No site do evento tem mais informações: http://proyectos.javerianacali.edu.co/simposiorecono/justicia_y_reconocimiento.html
Um ótimo material para quem pesquisa Axel Honneth ou tem interesse nas Teorias da Justiça e Teoria Crítica.
Abaixo os vídeos completos das palestras disponibilizados pelo evento no youtube:

El papel de la sensibilidad moral en la teoría del reconocimiento de Axel Honneth
Dra. Ángela Calvo de Saavedra.


En el debate ético y político contemporáneo la sensibilidad moral ocupa un papel cada vez más significativo, en virtud de la comprensión de la vulnerabilidad como condición de la existencia humana, condición que determina la construcción intersubjetiva de la identidad personal y nos expone a los efectos del aprecio o desprecio que recibimos en las interacciones cotidianas. El propósito de la conferencia es presentar de manera sistemática el lugar que Honneth otorga a la sensibilidad moral:

    • I) en el fenómeno moral, como indicador del daño moral;
    • II) en la motivación política, como potencial impulsora de las luchas por el reconocimiento;
    • III) en la justificación moral, como horizonte que orienta el sentido de las obligaciones morales.

El déficit sociológico y las tradiciones filosóficas
Dr. Delfín Ignacio Grueso Honneth


Tanto cuando toma distancia frente a la obra de Jürgen Habermas, como cuando debate con Nancy Fraser, incluso cuando retoma los desarrollos hegelianos en torno al reconocimiento, Axel Honneth saca a colación el déficit sociológico de estos filósofos. Esto ha sido una constante en la tradición Teórico-crítica (de alguna forma fue esa la corrección que hicieron los padres de la Escuela de Frankfort con respecto al marxismo ortodoxo y la que hizo Habermas con respecto a Horkheimer y Adorno). En mi conferencia trataré cómo esta cuestión no puede tener la misma relevancia cuando se trata de dar cuenta de esfuerzos que, hablando de injusticias, conflictos y reconocimiento, se dan al otro lado del Atlántico, incluso si ellos pretenden honrar los marcos de la tradición teórico-crítica (como en el caso de Iris Young y Nancy Fraser). En fin, defender el modo de hablar de esas cosas desde otra perspectiva teórico-social.

Justicia y reconocimiento. Sobre el fundamento moral de la crítica de la sociedad
Dr. Miguel Giusti

La conferencia se ocupará de la cuestión del fundamento de la normatividad moral de la crítica de la sociedad. Me apoyaré, para ello, en algunas de las tesis que defiende Axel Honneth en su último gran libro sistemático, El derecho de la libertad, aunque las abordaré prestando atención específicamente al problema de fondo que menciono. En un primer momento, mostraré que la tesis de Honneth sobre la preeminencia del reconocimiento sobre la justicia, en la que sigue insistiendo, reposa ahora con más claridad sobre un tercer elemento, a saber, sobre la interpretación del concepto de libertad. Qué entendamos por justicia es algo que depende, pues, de lo que entendamos previamente por libertad, pero siendo la libertad una noción de contenido variable a lo largo de la época moderna, solo una visión orgánica o comprehensiva de la misma –como la que ofrece el concepto de reconocimiento (o de libertad social)– podrá, en su opinión, proveernos de un sentido cabal de la justicia (de la justicia social). En un segundo momento, fijaremos la atención sobre el problema metodológico que trae consigo la caracterización conceptual de este modelo de libertad social, es decir, sobre el hecho de que ella pretenda obtenerse no por medio de una “construcción” postulatoria de principios universales, sino por medio de una “reconstrucción normativa” de los valores ya contenidos en las instituciones de la sociedad. Veremos cuáles son los momentos centrales de esta opción metodológica que Honneth extrae de un diálogo polémico con la posición de Hegel. Finalmente, en un último paso, nos ocuparemos más específicamente de la fuente de la normatividad de esta concepción del reconocimiento. Expondremos y discutiremos entonces lo que Honneth propone como un “movimiento en espiral” (Spiralbewegung) de la crítica social.

Favelas y el derecho a la ciudad. Movilización política y reconocimiento de derechos
Dr. Rafael Soares Gonçalves

Esta contribución pretende comprender el proceso histórico de construcción del derecho a la ciudad de los favelados, que es, sobre todo, la lucha por el derecho a permanecer. El objetivo es por lo tanto para entender las diferentes formas de acción y organización de los movimientos sociales urbanos en las favelas de Rio de Janeiro y cómo contribuyeron en la consolidación del derecho a la ciudad en la agenda política.

Potencial y límites de la justicia como reconocimiento una mirada crítica a la obra de Axel Honnet
Dra. Ana Fascioli

Resistencia no violenta y reconocimiento: El caso de San Jose de Apartado
Dra. Elizabeth Lozano

Esta ponencia examina la experience de la Comunidad de Paz de San Jose de Apartado., en 14 anos de resistencia noviolenta a los actores armados colombianos. Especificamente discutiré las estrategias discursivas y las practicas cotidianas que la comunidad realiza de manera consciente e inconsciente para afirmarse en su identidad y en su derecho a ser reconocidos colectivamente como una comunidad autónoma. La ponencia estará basada en mi experiencia etnográfica en la comunidad y en mi propia reflexion desde la praxis de la noviolencia.

Panel de comunicación y reconocimiento

Comunicación y reconocimiento: experiencias situadas sobre jóvenes, indígenas, víctimas y líderes comunitarios
Ponencia: Elementos de comunicación social y reconocimiento durante el surgimiento del barrio El Retiro (Distrito de Aguablanca, Cali, Colombia) en los años 80 Dr. Ricardo Rodríguez Quintero
Ponencia: Intervenciones urbanas en las favelas en el contexto de los juego olímpicos y la valorización del suelo urbano. Dr. Rafael Soares Gonçalves
Ponencia: Configuración de un lenguaje moral sobre el reconocimiento político en el resguardo Wasiruma Carlos Andrés Tobar Tovar
Ponencia: Dinámicas de reconocimiento y menosprecio en jóvenes pertenecientes a diversas culturas juveniles en su experiencia de habitar un parque. Mónica Marión Cataño

Há 96 anos Rosa Luxemburgo foi assassinada!

Hoje sexta-feira (15/01), completam-se 96 anos da morte de Rosa Luxemburgo.

Há 96 anos  foi assassinada Rosa Luxemburgo

Sobre a sua morte na Wikipédia:

Em 15 de janeiro de 1919, Rosa Luxemburgo, Karl Liebknecht e Wilhelm Pieck, líderes do Partido Comunista da Alemanha, são presos e levados para interrogatório no Hotel Eden, em Berlim. [8] Embora os detalhes das mortes de Luxemburgo e Liebknecht sejam desconhecidos, a versão mais aceita é a de que tenham sido retirados do hotel por paramilitares do grupo de direita Freikorps (que, mais tarde, apoiariam os nazis). Luxemburgo e Liebknecht foram escoltados para fora do prédio, sendo espancados até ficarem inconscientes.[8] Pieck conseguiu fugir, enquanto Luxemburgo e Liebknecht foram levados – cada um em um jipe militar.[8] O primeiro jipe, com Rosa Luxemburgo, virou antes da ponte denominada Corneliusbrücke, em uma pequena rua paralela ao curso d’água conhecido Landwehrkanal. Ela foi baleada e jogada, agonizante, nas águas geladas de janeiro do Landwerkanal. Seu companheiro de luta, Karl, seguiu no outro jipe, que cruzou a Corneliusbrücke e entrou em uma das ruas desertas do parque Tiergarten. Ele, então, foi obrigado a caminhar e, a seguir, baleado pelas costas. Morto, foi entregue como indigente em um posto policial. Dois meses mais tarde, Jogiches foi morto pelo mesmo grupo.[7] O corpo de Rosa Luxemburgo só foi encontrado no final de junho. Seus assassinos jamais foram condenados.[6] Somente em 1999, uma investigação do governo alemão concluiu que os paramilitares haviam recebido ordens e dinheiro dos governantes social-democratas para matar Luxemburgo e Liebknecht.

Os corpos de Rosa Luxemburgo e Karl Liebknecht foram enterrados no Cemitério Central de Freidrichsfelde, em Berlim. Todos os anos, socialistas e comunistas se reúnem no local, na segunda segunda-feira de janeiro, para homenageá-los.

Para saber mais:

Aqui você encontra a bibliografia dela em português:
https://www.marxists.org/portugues/luxemburgo/

Michael Löwy: O pensamento de Rosa Luxemburgo
http://blogdaboitempo.com.br/2015/03/05/michael-lowy-o-pensamento-de-rosa-luxemburgo-2/

Abaixo o filme legendado em português:

Descrição do filme: Nascida na Polônia e doutora em Ciências Econômicas, Rosa Luxemburgo torna-se uma das grandes líderes do movimento operário revolucionário alemão, adere ao Partido Social-Democrata alemão em 1898 e em 1914, rompe violentamente com essa agremiação. Rosa, a Vermelha, como era conhecida, visceralmente internacionalista e antibelicista condena como uma traição o apoio dos social-democratas à deflagração da Primeira Guerra Mundial. Ao lado de Léo Jogiches, o amante e do revolucionário Karl Liebknecht, junto com o qual fundou a Liga Spartakus, embrião do futuro Partido Comunista Alemão, a militante se embrenha cada vez mais no movimento de massas, passando longos períodos na prisão.

Revista: Habermas e Honneth: formação do indivíduo e socialização

Sem título
Baixe a revista aqui!
SUMÁRIO:
HABERMAS INTRODUÇÃO – EMANCIPAÇÃO, ESFERA PÚBLICA E DIREITO – A teoria crítica de Jürgen Habermas, representante da chamada “segunda geração” da Escola de Frankfurt HABERMAS PSICANÁLISE – Por algum tempo, o filósofo considerou as concepções da psicanálise como um exemplo de teoria crítica

HABERMAS METAPSICOLOGIA –   A proposta de uma psicanálise baseada na linguagem e na auto-reflexão metódica, livre do positivismo

HABERMAS CONSCIÊNCIA MORAL – HABERMAS LEITOR DE KOHLBERG – A teoria crítica examina não apenas as patologias do mundo capitalista, mas também o desenvolvimento moral da sociedade pós-convencional

HABERMAS PSICOLOGIA SOCIAL – INDIVÍDUO E SOCIEDADE
Baseado na psicologia social de George Herbert Mead, Habermas vê na individuação um processo de socialização e de constituição de uma história de vida autoconsciente e mediado pela linguagem

HONNETH INTRODUÇÃO – RECONHECIMENTO E EMANCIPAÇÃO – Para Honneth, a noção hegeliana da luta por reconhecimento é a chave para compreender a dinâmica das relações e dos conflitos sociais

HONNETH DESRESPEITO SOCIAL – AXEL HONNETH  – O filósofo identifica nas lutas por reconhecimento elementos centrais de uma teoria crítica e analisa formas de desrespeito e não-reconhecimento na sociedade contemporânea
Sem título1
HONNETH REIFICAÇÃO – Honneth retoma o conceito de reificação, formulado nos anos 20, e mostra sua validade para a reflexão crítica sobre a sociedade contemporânea

RECONHECIMENTO E PSICANÁLISE – Em sua versão da teoria crítica, Axel Honneth reforça os laços entre psicanálise e teoria da sociedade, traço característico da abordagem da Escola de Frankfurt

Educação Profissional e Tecnológica

evolucao

Documentário sobre Educação Profissional e Tecnológica da central de mídia
do Ministério da Educação – http://goo.gl/gVwH3h

Legislação Básica – Educação Profissional e Tecnológica – http://goo.gl/3Xq8Po

Texto: Cenário Histórico da Educação Profissional

Programas do MEC:
SISUTE
PRONATEC
PROEJA

Artigos:
A relação da educação profissional e tecnológica – SciELO – Frigotto
A política de educação profissional no governo lula – SciELO – Frigotto
A política de educação profissional no governo lula: um percurso histórico controvertido – Frigotto


 

Material para trabalhar inclusão

Se você tiver alguma sugestão pode deixar nos comentários.

Documentários:
Colégio Coronel Pilar [versão integral, Libras] – Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasi: Versão integral com Libras do documentário sobre a experiência educacional inclusiva do Colégio Coronel Pilar, Santa Maria, Brasil. Acesse também o estudo de caso em: http://bit.ly/1sCf0CP

Borboletas de Zagorsk [BBC, 1992] – Domentário sobre educadores russos que ensinam crianças com deficiência auditiva e visual na cidade de Zagorsk, baseados na teoria de  Lev Vygotsky (1896-1934). https://youtu.be/KxEaHMxi7wE

Animações:
Ex-Et:  Uma criança diferente que não é aceita pelo grupo. https://youtu.be/XrnfRM_ujAA

Curtas:
Cordas – Curta-metragem premiado em 2014, dirigido por Pedro Solís, que apresenta o relacionamento muito especial de uma menina com seu colega, que tem paralisia cerebral. http://clubedecinema.pt/curta-metragem-cordas/

As cores das flores – Uma criança cega precisa escrever uma redação sobre as cores das flores. O vídeo mostra o desafio do menino para conseguir cumprir a tarefa. A tradução para o português foi feita para o blog “Assim como Você”, de Jairo Marques. https://www.youtube.com/watch?v=s6NNOeiQpPM

Filmes:
Vermelho Como o Céu –  É baseado na história de Mirco Mencacci, um renomado editor de som da indústria cinematográfica italiana. O filme se passa nos anos 70, Mirco (Luca Capriotti) ainda criança, sofre um acidente e perde a visão. Rejeitado pela escola pública onde estudava, vai para uma escola de deficientes visuais em Gênova. Lá, encontra um gravador e começa a criar histórias sonoras. https://www.youtube.com/watch?v=fVNhFpX3Wac

Gaby Uma História Verdadeira – Gabriela Brimmer nasceu com paralisia cerebral e só conseguia mexer seu pé esquerdo. Ela começou a usar esses movimentos para se comunicar e conseguiu se tornar uma reconhecida escritora e poetisa. https://www.youtube.com/watch?v=JSwOk92C9cs

Como Estrelas na Terra, Toda Criança é Especial – O filme conta a história de uma criança que sofre com dislexia e custa a ser compreendida. Ishaan Awasthi, de 9 anos, já repetiu uma vez o terceiro período (no sistema educacional indiano) e corre o risco de repetir de novo. As letras dançam em sua frente, como diz, e não consegue acompanhar as aulas nem focar sua atenção. Seu pai acredita apenas na hipótese de falta de disciplina e trata Ishaan com muita rudez e falta de sensibilidade. https://www.youtube.com/watch?v=6rxSS46Fwk4

Pesquisa e Tecnologias

Vídeo – Café Filosófico: O Poder da Tecnologia

Webquest sobre blogues: https://blogwebquest.wordpress.com/