Tese: Relações sociais de Reconhecimento Intersubjetivo Virtual na formação de professores a distância.

NOGUEIRA, Vanessa dos Santos. Relações sociais de Reconhecimento Intersubjetivo Virtual na formação de professores a distância. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal de Pelotas, 2016.

Esta pesquisa tem como objetivo a interpretação das relações sociais de reconhecimento intersubjetivo, valendo-se de espaços virtuais, especificamente em um curso de formação de professores, na modalidade de Educação a Distância (EAD), no âmbito do Sistema da Universidade Aberta do Brasil (UAB). A base teórica que guia a investigação está na luta pelo reconhecimento, proposta pelo filósofo alemão Axel Honneth. Para confrontar a fundamentação teórica, houve um trabalho empírico, cujo locus foi o ambiente virtual de aprendizagem Moodle, tendo como público os estudantes do Curso de Pedagogia a Distância da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), no âmbito da UAB. A coleta de dados para base empírica decorreu de Entrevista Semiestruturada On-line com os estudantes do referido curso e de uma Autoetnografia Virtual. A organização dos dados para análise contou com o apoio do Software NVivo. A interpretação do corpus ocorreu por meio da Análise Textual Discursiva. Como resultados e discussões das análises dos dados, pode-se inferir que a internet enquanto artefato cultural de reconhecimento oferece recursos de interação que podem tanto reforçar padrões culturais antigos, quanto compor novos arranjos de relações sociais. O espaço virtual da internet configura um lugar de reconhecimento no curso pesquisado. Os sujeitos apresentam traços das três esferas de reconhecimento intersubjetivo, o amor, o direito e a estima social. Elas funcionam de forma entrelaçada, bem como vivências de reificação e sintomas de patologias sociais. Os estudantes demostraram a partir das entrevistas uma trajetória de luta por um projeto de bem viver, no qual ser aluno da EAD numa universidade pública caracteriza-se como uma conquista. Ao ocuparem o espaço virtual do curso, eles passam por período de adaptação, de aprendizagem dessa nova forma de comunicar. Dessa maneira, estabelecem relações práticas de autoconfiança, autorrespeito e autoestima. Nesse sentido, entende-se que o virtual apresenta especificidades na forma de relacionamento dos sujeitos que diferem da vida presencial, com potencial para qualificar os espaços de formação de professores, mas também, pode apresentar uma comunicação superficial e com falhas. Tais variações ocorrem na percepção dos estudantes pela ausência da presença física do outro e a superficialidade dos discursos dos professores e tutores. Contudo, acredita-se que o virtual e o presencial complementam-se. Por fim, o Reconhecimento Intersubjetivo Virtual é constituído com base em um movimento espiral de aprendizagem dos elementos necessários para a comunicação e luta por reconhecimento, que se dá no entrelaçamento dos espaços on-line e off-line do mundo da vida.
Palavras-chave: Axel Honneth, Teoria do Reconhecimento, Educação a Distância, Formação de Professores, Reconhecimento Intersubjetivo Virtual.

Abstract

NOGUEIRA, Vanessa dos Santos. Social Relations of Virtual Intersubjective Recognition in distance teachers training. Thesis (Doctorate in Education) – Program of Graduate Studies in Education, Federal University of Pelotas, 2016.

This research aims the interpretation of the social relations of intersubjective recognition, making use of virtual spaces, specifically in a course of teacher training, in the form of distance education (DE), under the system of the Open University of Brazil (OUB). The theoretical basis of the research guide is in the struggle for recognition, proposed by the German philosopher Axel Honneth. To confront the theoretical foundation, there was an empirical work, whose locus was the virtual learning environment Moodle, having as public the students of Distance Pedagogy Course from Federal University of Santa Maria (UFSM), under OUB. Data collection for empirical basis held online semi-structured interviews with students of that course and a Virtual Auto ethnography. The organization of data for analysis had the support of Software Nvivo. The interpretation of the corpus occurred through the Discourse Textual Analysis. As a result of discussions and analyzes of the data, it could be inferred that the internet as a cultural artifact recognition, offers interaction features that can enhance both ancient cultural patterns, as composing new arrangements of social relations. The virtual space of the internet sets up a recognition of the place at the searched course. The subjects have traces of the three inter-subjective recognition spheres, love, law and social esteem. They work in interlaced form, as well as reification of experiences and symptoms of social pathologies. Students demonstrated on the interviews a path of struggle for a good life project, in which being a student of OUB in public universities is characterized as an achievement. To occupy the virtual space, they go through the adaptation period, learning this new way to communicate. Thus, establish practical relations of self-confidence, self respect and self esteem. In this sense, it is understood that the virtual presents specificities in the form of relationship of the subjects that differ from presential life, with the potential to qualify spaces for teacher training, but also may have a superficial communication and failures. Such variations occur in the perception of students by the absence of the physical presence of the other and the shallowness of the speeches of teachers and tutors. However, it is believed that the virtual and presential complement each other. Finally, Virtual intersubjective Recognition is made based on a learning spiral movement of the necessary elements for communication and struggle for recognition which happens on the intertwining of online and off-line spaces in the world of life.
Key words: Axel Honneth, Recognition Theory, Distance Education, Teacher Training, Virtual Intersubjective Recognition.

Baixe o arquivo completo aqui!

Anúncios

Lista de artigos de Axel Honneth traduzidos em português

images

HONNETH, Axel. As enfermidades da sociedade: Aproximação a um conceito quase impossível. Civitas-Revista de Ciências Sociais, v. 15, n. 4, p. 575-594, 2016. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/civitas/article/viewArticle/22520

HONNETH, Axel. Barbarizações do conflito social: lutas por reconhecimento ao início do século 21. Civitas-Revista de Ciências Sociais, v. 14, n. 1, p. 154-176, 2014. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/civitas/article/viewArticle/16941

HONNETH, Axel. Reconhecimento como ideologia: sobre a correlação entre moral e poder. Tradução de Ricardo Crissiuma. In:
Revista Fevereiro. julho de 2014. Disponível em: http://www.revistafevereiro.com/pag.php?r=07&t=09

HONNETH, Axel. Educação e esfera pública democrática: um capítulo negligenciado da filosofia política. Civitas-Revista de Ciências Sociais, v. 13, n. 3, p. 544-562, 2013. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/civitas/article/viewArticle/16529

HONNETH, Axel. O eu no nós: reconhecimento como força motriz de grupos. Sociologias, v. 15, n. 33, 2013. Disponível em: http://www.seer.ufrgs.br/sociologias/article/view/42432/0

HONNETH, Axel.Abismos do reconhecimento: o legado sociofilosófico de Jean-Jacques Rousseau. Civitas-Revista de Ciências Sociais, v. 13, n. 3, 2013. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/civitas/article/view/16530

HONNETH, Axel; ANDERSON, Joel. Autonomia, vulnerabilidade, reconhecimento e justiça. Cadernos de Filosofia Alemã: Crítica e Modernidade, n. 17, p. 81-112, 2011.Disponível em: http://www.revistas.usp.br/filosofiaalema/article/view/64839/0

HONNETH, Axel. Reconhecimento entre estados: sobre a base moral das relações internacionais. Civitas-Revista de Ciências Sociais, v. 10, n. 1, p. 134-152, 2010.Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/civitas/article/viewArticle/7131

HONNETH, Axel. A textura da justiça: sobre os limites do procedimentalismo contemporâneo. Civitas-Revista de Ciências Sociais, v. 9, n. 3, p. 345-368, 2009. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/civitas/article/viewArticle/6896

HONNETH, Axel. Trabalho e reconhecimento: tentativa de uma redefinição. Civitas-Revista de Ciências Sociais, v. 8, n. 1, p. 46-67, 2008. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/civitas/article/viewArticle/4321

HONNETH, Axel. Observações sobre a reificação. Civitas-Revista de Ciências Sociais, v. 8, n. 1, p. 68-79, 2008. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/civitas/article/viewArticle/4322

HONNETH, Axel.O capitalismo como forma de vida fracassada: esboço sobre a teoria da sociedade de adorno. Revista Política &Trabalho, v. 24, 2006. Disponível em: http://www.ies.ufpb.br/ojs/index.php/politicaetrabalho/article/view/6599

HONNETH, Axel. Patologias da liberdade individual. Novos Estudos, n. 66, p. 87, 2003. Disponível em:http://novosestudos.org.br/v1/files/uploads/contents/100/20080627_patologias_da_liberdade.pdf

 Para sugestões entre em contato: snvanessa@gmail.com

Vídeo- Direito da Liberdade: Dilemas da Teoria do Reconhecimento de Axel Honneth

Vdeo do painel Direito da Liberdade: dilemas da teoria do reconhecimento de Axel Honneth, com:

Emil Sobottka (Ciências Sociais PUC RS )
Cinara Rosenfield (Ciências Sociais UFRGS)
Felipe Gonçalves Silva (Filosofia UFRGS)
José Vicente Tavares dos Santos (ILEA UFRGS)

O evento aconteceu no dia 15/12, às 14h, no auditório do ILEA na UFRGS.

 

Vídeos das palestras do Simposio Reconocimiento Justicia y Comunicación – Axel Honneth

O Simpósio Internacional Reconocimiento, Justicia y Comunicación aconteceu em outubro de 2015 na Pontificia Universidad Javeriana de Cali na Colômbia.
No site do evento tem mais informações: http://proyectos.javerianacali.edu.co/simposiorecono/justicia_y_reconocimiento.html
Um ótimo material para quem pesquisa Axel Honneth ou tem interesse nas Teorias da Justiça e Teoria Crítica.
Abaixo os vídeos completos das palestras disponibilizados pelo evento no youtube:

El papel de la sensibilidad moral en la teoría del reconocimiento de Axel Honneth
Dra. Ángela Calvo de Saavedra.


En el debate ético y político contemporáneo la sensibilidad moral ocupa un papel cada vez más significativo, en virtud de la comprensión de la vulnerabilidad como condición de la existencia humana, condición que determina la construcción intersubjetiva de la identidad personal y nos expone a los efectos del aprecio o desprecio que recibimos en las interacciones cotidianas. El propósito de la conferencia es presentar de manera sistemática el lugar que Honneth otorga a la sensibilidad moral:

    • I) en el fenómeno moral, como indicador del daño moral;
    • II) en la motivación política, como potencial impulsora de las luchas por el reconocimiento;
    • III) en la justificación moral, como horizonte que orienta el sentido de las obligaciones morales.

El déficit sociológico y las tradiciones filosóficas
Dr. Delfín Ignacio Grueso Honneth


Tanto cuando toma distancia frente a la obra de Jürgen Habermas, como cuando debate con Nancy Fraser, incluso cuando retoma los desarrollos hegelianos en torno al reconocimiento, Axel Honneth saca a colación el déficit sociológico de estos filósofos. Esto ha sido una constante en la tradición Teórico-crítica (de alguna forma fue esa la corrección que hicieron los padres de la Escuela de Frankfort con respecto al marxismo ortodoxo y la que hizo Habermas con respecto a Horkheimer y Adorno). En mi conferencia trataré cómo esta cuestión no puede tener la misma relevancia cuando se trata de dar cuenta de esfuerzos que, hablando de injusticias, conflictos y reconocimiento, se dan al otro lado del Atlántico, incluso si ellos pretenden honrar los marcos de la tradición teórico-crítica (como en el caso de Iris Young y Nancy Fraser). En fin, defender el modo de hablar de esas cosas desde otra perspectiva teórico-social.

Justicia y reconocimiento. Sobre el fundamento moral de la crítica de la sociedad
Dr. Miguel Giusti

La conferencia se ocupará de la cuestión del fundamento de la normatividad moral de la crítica de la sociedad. Me apoyaré, para ello, en algunas de las tesis que defiende Axel Honneth en su último gran libro sistemático, El derecho de la libertad, aunque las abordaré prestando atención específicamente al problema de fondo que menciono. En un primer momento, mostraré que la tesis de Honneth sobre la preeminencia del reconocimiento sobre la justicia, en la que sigue insistiendo, reposa ahora con más claridad sobre un tercer elemento, a saber, sobre la interpretación del concepto de libertad. Qué entendamos por justicia es algo que depende, pues, de lo que entendamos previamente por libertad, pero siendo la libertad una noción de contenido variable a lo largo de la época moderna, solo una visión orgánica o comprehensiva de la misma –como la que ofrece el concepto de reconocimiento (o de libertad social)– podrá, en su opinión, proveernos de un sentido cabal de la justicia (de la justicia social). En un segundo momento, fijaremos la atención sobre el problema metodológico que trae consigo la caracterización conceptual de este modelo de libertad social, es decir, sobre el hecho de que ella pretenda obtenerse no por medio de una “construcción” postulatoria de principios universales, sino por medio de una “reconstrucción normativa” de los valores ya contenidos en las instituciones de la sociedad. Veremos cuáles son los momentos centrales de esta opción metodológica que Honneth extrae de un diálogo polémico con la posición de Hegel. Finalmente, en un último paso, nos ocuparemos más específicamente de la fuente de la normatividad de esta concepción del reconocimiento. Expondremos y discutiremos entonces lo que Honneth propone como un “movimiento en espiral” (Spiralbewegung) de la crítica social.

Favelas y el derecho a la ciudad. Movilización política y reconocimiento de derechos
Dr. Rafael Soares Gonçalves

Esta contribución pretende comprender el proceso histórico de construcción del derecho a la ciudad de los favelados, que es, sobre todo, la lucha por el derecho a permanecer. El objetivo es por lo tanto para entender las diferentes formas de acción y organización de los movimientos sociales urbanos en las favelas de Rio de Janeiro y cómo contribuyeron en la consolidación del derecho a la ciudad en la agenda política.

Potencial y límites de la justicia como reconocimiento una mirada crítica a la obra de Axel Honnet
Dra. Ana Fascioli

Resistencia no violenta y reconocimiento: El caso de San Jose de Apartado
Dra. Elizabeth Lozano

Esta ponencia examina la experience de la Comunidad de Paz de San Jose de Apartado., en 14 anos de resistencia noviolenta a los actores armados colombianos. Especificamente discutiré las estrategias discursivas y las practicas cotidianas que la comunidad realiza de manera consciente e inconsciente para afirmarse en su identidad y en su derecho a ser reconocidos colectivamente como una comunidad autónoma. La ponencia estará basada en mi experiencia etnográfica en la comunidad y en mi propia reflexion desde la praxis de la noviolencia.

Panel de comunicación y reconocimiento

Comunicación y reconocimiento: experiencias situadas sobre jóvenes, indígenas, víctimas y líderes comunitarios
Ponencia: Elementos de comunicación social y reconocimiento durante el surgimiento del barrio El Retiro (Distrito de Aguablanca, Cali, Colombia) en los años 80 Dr. Ricardo Rodríguez Quintero
Ponencia: Intervenciones urbanas en las favelas en el contexto de los juego olímpicos y la valorización del suelo urbano. Dr. Rafael Soares Gonçalves
Ponencia: Configuración de un lenguaje moral sobre el reconocimiento político en el resguardo Wasiruma Carlos Andrés Tobar Tovar
Ponencia: Dinámicas de reconocimiento y menosprecio en jóvenes pertenecientes a diversas culturas juveniles en su experiencia de habitar un parque. Mónica Marión Cataño

Revista: Habermas e Honneth: formação do indivíduo e socialização

Sem título
Baixe a revista aqui!
SUMÁRIO:
HABERMAS INTRODUÇÃO – EMANCIPAÇÃO, ESFERA PÚBLICA E DIREITO – A teoria crítica de Jürgen Habermas, representante da chamada “segunda geração” da Escola de Frankfurt HABERMAS PSICANÁLISE – Por algum tempo, o filósofo considerou as concepções da psicanálise como um exemplo de teoria crítica

HABERMAS METAPSICOLOGIA –   A proposta de uma psicanálise baseada na linguagem e na auto-reflexão metódica, livre do positivismo

HABERMAS CONSCIÊNCIA MORAL – HABERMAS LEITOR DE KOHLBERG – A teoria crítica examina não apenas as patologias do mundo capitalista, mas também o desenvolvimento moral da sociedade pós-convencional

HABERMAS PSICOLOGIA SOCIAL – INDIVÍDUO E SOCIEDADE
Baseado na psicologia social de George Herbert Mead, Habermas vê na individuação um processo de socialização e de constituição de uma história de vida autoconsciente e mediado pela linguagem

HONNETH INTRODUÇÃO – RECONHECIMENTO E EMANCIPAÇÃO – Para Honneth, a noção hegeliana da luta por reconhecimento é a chave para compreender a dinâmica das relações e dos conflitos sociais

HONNETH DESRESPEITO SOCIAL – AXEL HONNETH  – O filósofo identifica nas lutas por reconhecimento elementos centrais de uma teoria crítica e analisa formas de desrespeito e não-reconhecimento na sociedade contemporânea
Sem título1
HONNETH REIFICAÇÃO – Honneth retoma o conceito de reificação, formulado nos anos 20, e mostra sua validade para a reflexão crítica sobre a sociedade contemporânea

RECONHECIMENTO E PSICANÁLISE – Em sua versão da teoria crítica, Axel Honneth reforça os laços entre psicanálise e teoria da sociedade, traço característico da abordagem da Escola de Frankfurt