Tese: Relações sociais de Reconhecimento Intersubjetivo Virtual na formação de professores a distância.

NOGUEIRA, Vanessa dos Santos. Relações sociais de Reconhecimento Intersubjetivo Virtual na formação de professores a distância. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal de Pelotas, 2016.

Esta pesquisa tem como objetivo a interpretação das relações sociais de reconhecimento intersubjetivo, valendo-se de espaços virtuais, especificamente em um curso de formação de professores, na modalidade de Educação a Distância (EAD), no âmbito do Sistema da Universidade Aberta do Brasil (UAB). A base teórica que guia a investigação está na luta pelo reconhecimento, proposta pelo filósofo alemão Axel Honneth. Para confrontar a fundamentação teórica, houve um trabalho empírico, cujo locus foi o ambiente virtual de aprendizagem Moodle, tendo como público os estudantes do Curso de Pedagogia a Distância da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), no âmbito da UAB. A coleta de dados para base empírica decorreu de Entrevista Semiestruturada On-line com os estudantes do referido curso e de uma Autoetnografia Virtual. A organização dos dados para análise contou com o apoio do Software NVivo. A interpretação do corpus ocorreu por meio da Análise Textual Discursiva. Como resultados e discussões das análises dos dados, pode-se inferir que a internet enquanto artefato cultural de reconhecimento oferece recursos de interação que podem tanto reforçar padrões culturais antigos, quanto compor novos arranjos de relações sociais. O espaço virtual da internet configura um lugar de reconhecimento no curso pesquisado. Os sujeitos apresentam traços das três esferas de reconhecimento intersubjetivo, o amor, o direito e a estima social. Elas funcionam de forma entrelaçada, bem como vivências de reificação e sintomas de patologias sociais. Os estudantes demostraram a partir das entrevistas uma trajetória de luta por um projeto de bem viver, no qual ser aluno da EAD numa universidade pública caracteriza-se como uma conquista. Ao ocuparem o espaço virtual do curso, eles passam por período de adaptação, de aprendizagem dessa nova forma de comunicar. Dessa maneira, estabelecem relações práticas de autoconfiança, autorrespeito e autoestima. Nesse sentido, entende-se que o virtual apresenta especificidades na forma de relacionamento dos sujeitos que diferem da vida presencial, com potencial para qualificar os espaços de formação de professores, mas também, pode apresentar uma comunicação superficial e com falhas. Tais variações ocorrem na percepção dos estudantes pela ausência da presença física do outro e a superficialidade dos discursos dos professores e tutores. Contudo, acredita-se que o virtual e o presencial complementam-se. Por fim, o Reconhecimento Intersubjetivo Virtual é constituído com base em um movimento espiral de aprendizagem dos elementos necessários para a comunicação e luta por reconhecimento, que se dá no entrelaçamento dos espaços on-line e off-line do mundo da vida.
Palavras-chave: Axel Honneth, Teoria do Reconhecimento, Educação a Distância, Formação de Professores, Reconhecimento Intersubjetivo Virtual.

Abstract

NOGUEIRA, Vanessa dos Santos. Social Relations of Virtual Intersubjective Recognition in distance teachers training. Thesis (Doctorate in Education) – Program of Graduate Studies in Education, Federal University of Pelotas, 2016.

This research aims the interpretation of the social relations of intersubjective recognition, making use of virtual spaces, specifically in a course of teacher training, in the form of distance education (DE), under the system of the Open University of Brazil (OUB). The theoretical basis of the research guide is in the struggle for recognition, proposed by the German philosopher Axel Honneth. To confront the theoretical foundation, there was an empirical work, whose locus was the virtual learning environment Moodle, having as public the students of Distance Pedagogy Course from Federal University of Santa Maria (UFSM), under OUB. Data collection for empirical basis held online semi-structured interviews with students of that course and a Virtual Auto ethnography. The organization of data for analysis had the support of Software Nvivo. The interpretation of the corpus occurred through the Discourse Textual Analysis. As a result of discussions and analyzes of the data, it could be inferred that the internet as a cultural artifact recognition, offers interaction features that can enhance both ancient cultural patterns, as composing new arrangements of social relations. The virtual space of the internet sets up a recognition of the place at the searched course. The subjects have traces of the three inter-subjective recognition spheres, love, law and social esteem. They work in interlaced form, as well as reification of experiences and symptoms of social pathologies. Students demonstrated on the interviews a path of struggle for a good life project, in which being a student of OUB in public universities is characterized as an achievement. To occupy the virtual space, they go through the adaptation period, learning this new way to communicate. Thus, establish practical relations of self-confidence, self respect and self esteem. In this sense, it is understood that the virtual presents specificities in the form of relationship of the subjects that differ from presential life, with the potential to qualify spaces for teacher training, but also may have a superficial communication and failures. Such variations occur in the perception of students by the absence of the physical presence of the other and the shallowness of the speeches of teachers and tutors. However, it is believed that the virtual and presential complement each other. Finally, Virtual intersubjective Recognition is made based on a learning spiral movement of the necessary elements for communication and struggle for recognition which happens on the intertwining of online and off-line spaces in the world of life.
Key words: Axel Honneth, Recognition Theory, Distance Education, Teacher Training, Virtual Intersubjective Recognition.

Baixe o arquivo completo aqui!

Sobre formação de professores: Interdisciplinaridade e Tecnologia

Participei da formação pedagógica da Escola Estadual Educação Básica Padre Pedro Marcelino Copetti em Ivorá/RS.

Trabalhar com formação de professores sempre me faz muito bem, sempre aprendo muito em cada escola que vou… Nessa em especial fui muito bem acolhida pelo grupo de professores, que participaram da proposta de trabalho compartilhando com o grupo suas ideias e atividades realizadas.

Falar sobre tecnologias na educação é sempre um desafio, um cenário em constante mudança, uma distância entre os discursos dos livros e dos relatos que ganham destaque e as condições materiais das escolas, tempo para um bom planejamento e um trabalho interdisciplinar que as vezes não é suficiente.

Ainda assim, acredito que é possível fazer um trabalho de mobilize e integre estudantes e professores em projetos autorais, fotografias, videos, blogues, narrativas…

Alguns temas trabalhados na formação:

muUEAvcy kpEAv32E kxTQOZ0T 4ByExfCl

E ao final da formação ganhei essa lindeza de livro “Memórias e identidade de um povo”, resultado de três anos de estudos e pesquisa realizado por duas turmas do Ensino Médio Politécnico da Escola.

vpOLf+vx MzrHqt00

“Escrever marca o vivido e sonha o viver. Recupera sua palavra. Toma posse efetiva do seu fazer. Ao escrever o vivido, ele nomeia a experiência e, ao nomeá-la, inscreve-a no circuito da história.” (OSTETTO, 2012, p, 32).

Material para trabalhar inclusão

Se você tiver alguma sugestão pode deixar nos comentários.

Documentários:
Colégio Coronel Pilar [versão integral, Libras] – Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasi: Versão integral com Libras do documentário sobre a experiência educacional inclusiva do Colégio Coronel Pilar, Santa Maria, Brasil. Acesse também o estudo de caso em: http://bit.ly/1sCf0CP

Borboletas de Zagorsk [BBC, 1992] – Domentário sobre educadores russos que ensinam crianças com deficiência auditiva e visual na cidade de Zagorsk, baseados na teoria de  Lev Vygotsky (1896-1934). https://youtu.be/KxEaHMxi7wE

Animações:
Ex-Et:  Uma criança diferente que não é aceita pelo grupo. https://youtu.be/XrnfRM_ujAA

Curtas:
Cordas – Curta-metragem premiado em 2014, dirigido por Pedro Solís, que apresenta o relacionamento muito especial de uma menina com seu colega, que tem paralisia cerebral. http://clubedecinema.pt/curta-metragem-cordas/

As cores das flores – Uma criança cega precisa escrever uma redação sobre as cores das flores. O vídeo mostra o desafio do menino para conseguir cumprir a tarefa. A tradução para o português foi feita para o blog “Assim como Você”, de Jairo Marques. https://www.youtube.com/watch?v=s6NNOeiQpPM

Filmes:
Vermelho Como o Céu –  É baseado na história de Mirco Mencacci, um renomado editor de som da indústria cinematográfica italiana. O filme se passa nos anos 70, Mirco (Luca Capriotti) ainda criança, sofre um acidente e perde a visão. Rejeitado pela escola pública onde estudava, vai para uma escola de deficientes visuais em Gênova. Lá, encontra um gravador e começa a criar histórias sonoras. https://www.youtube.com/watch?v=fVNhFpX3Wac

Gaby Uma História Verdadeira – Gabriela Brimmer nasceu com paralisia cerebral e só conseguia mexer seu pé esquerdo. Ela começou a usar esses movimentos para se comunicar e conseguiu se tornar uma reconhecida escritora e poetisa. https://www.youtube.com/watch?v=JSwOk92C9cs

Como Estrelas na Terra, Toda Criança é Especial – O filme conta a história de uma criança que sofre com dislexia e custa a ser compreendida. Ishaan Awasthi, de 9 anos, já repetiu uma vez o terceiro período (no sistema educacional indiano) e corre o risco de repetir de novo. As letras dançam em sua frente, como diz, e não consegue acompanhar as aulas nem focar sua atenção. Seu pai acredita apenas na hipótese de falta de disciplina e trata Ishaan com muita rudez e falta de sensibilidade. https://www.youtube.com/watch?v=6rxSS46Fwk4

Como você se organiza para estudar?

Olá Pessoal!!eu

Fiz um trabalho muito bacana de formação com estudantes do primeiro ano do Ensino Médio sobre como qualificar seu tempo de estudo… com algumas sugestões para organizar uma agenda, o local e o material de estudo… segue uma cópia da apresentação em .odp e licença Creative Commons.

Material sobre Interdiciplinaridade!

111

Segundo a proposta de reestruturação do Ensino Médio do Estado do Rio Grande do Sul:O trabalho interdisciplinar, como estratégia metodológica, viabiliza o estudo de temáticas transversalizadas, o qual alia a teoria e prática, tendo sua concretude por meio de ações pedagógicas integradoras. Tem como objetivo, numa visão dialética, integrar as áreas de conhecimento e o mundo do trabalho.

Vídeos:

Interdisciplinaridade e Transversalidadeda da univesptv:


Profa Dra Ivani Fazenda – Sua trajetória na educação

Leitura de apoio:

CARLOS. Jairo Gonçalves. Interdisciplinaridade no Ensino Médio: desafios epotencialidades. Dissertação de Mestrado.

FAZENDA, Ivani Catarina Arantes. Interdisciplinaridade e Transdisciplinaridade na Formação de professores. Revista Brasileira de Docência, Ensino e Pesquisa em Administração. V. 1, No. 1, São Paulo, 2009.

Outros sites:

GEPI- Grupo de Estudo e pesquisa em Interdisciplinaridade

TCC: Afetividade nas Relações Interpessoais entre Tutores e Estudantes na Educação a Distância

educação a distância

Jonara apresentando a sua pesquisa

educação a distância

Valmor, Jonara e eu.

                                                                                        A  defesa do Trabalho de Conclusão de Curso intitulado: “Afetividade nas Relações Interpessoais entre Tutores e Estudantes na Educação a Distância” da minha amada orientanda Jonara Rossato, aconteceu no final de dezembro. O objetivo da pesquisa foi analisar o desenvolvimento de afetividade entre tutores e alunos na Educação a Distância, considerando a afetividade como fator inerente ao processo de ensino e aprendizagem dos sujeitos. Participou da banca o Professor Valmor Scott Junior, que além de meu amigo é um exelente profissional e vem pesquisando sobre afetividade e educação, podendo assim qualificar a pesquisa da Jonara.

Com os aulas presenciais + aulas a distância + tese + materninade… tinha decidido não orientar nenhum TCC esse ano. Mudei de ideia quando a Jonara veio me procurar… Não consegui dizer não. A Jonara foi minha orientanda de estágio na Educação Infantil, fez parte de uma turma que me marcou muito. Sempre muito agitada, nervosa mas também muito dedicada, organizada e comprometida.

Perceber que você pode colaborar com a aprendizagem de outras pessoas é maravilhoso, acompalhar o crescimento de uma aluna de perto, perceber o quanto ela é capaz e acompanhar isso por um tempo motiva muito o trabalho docente. Foi uma experiência ótima!

Oficina Linux Educacional – Pamambi/RS

Programa para baixar vídeos – Instalar complemento no Firefox Video DownloadHelper

Projeto Software Livre Educacional – http://sleducacional.org/

Lista de Softwares Educaconais organizado pela professora Sinara Duarte –Lista de Softwares Livres Educacionais
Oficina Linux Educacional – Panambi